MINI-ARTIGOS SOBRE AS ESPÉCIES

Nesta secção encontram-se mini-artigos sobre as espécies, de forma sucinta e clara, ficamos a conhecer um pouco mais sobre a nossa fauna. Ilustrados com as melhores fotografias da espécie.

AS MINHAS MISSÕES

Ao contrário dos artigos, nas missão explico como consegui fotografar as espécies (ou observar). O que sofri e as peripécias para as conseguir fotografar tranquilamente e sem as perturbar.

TRUQUES E DICAS

Nesta secção poderá encontrar alguns truques e dicas sobre fotografia de vida selvagem e de natureza, desde as técnicas utilizadas na máquina como algumas das técnicas utilizadas no terreno.

ABRIGOS

Para além dos vários truques, existem também alguns abrigos já montados que podemos frequentar em Portugal e outros tantos em Espanha. Serão apenas colocados abrigos que tenha frequentado.

PROJETOS

Os vários projetos que tenho realizado, desde panfletos, livros, workshops, entre outros.

UM MÊS...UMA AVE

A Fundação Calouste Gulbenkian com o apoio científico da Fundação Luis de Molina e da Universidade de Évora apresenta nos jardins da fundação em Lisboa o projeto "UM MÊS...UMA AVE". Todos os meses foi apresentada uma espécie presente nos jardins da Fundação Calouste Gulbenkian. A lista de espécies do primeiro ano está terminada.

Canal Youtube onWILD

Novo canal no youtube destinado apenas a filmagens de vida selvagem. Subscrevam.

Definições Canon 7D Mark II

As definições que utilizo na minha máquina para a fotografia de aves.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Libelinha

Libelinha - Sympetrum fonscolombii

Esta libelinha, de nome cientifico Sympetrum fonscolombii, é uma espécie comum no Sul da Europa e desde os anos 90 que têm vindo a conquistar novos territórios mais a Norte, tendo chegado à Irlanda e Inglaterra.

As asas possuem pequenos pterostigma com uma coloração amarelada e a borda de cor preta, isto permite-nos distingui-la da espécie Sympetrum striolatum. S. fonscolombii pertence à família Libellulidae, cujos membros são eximios voadores e tem o hábito de pousarem em zonas expostas, maioritariamente em plantas, de onde lançam os ataques para apanhar as suas presas. Os adultos possuem coloração avermelhada nos machos e amarelada nas fêmeas, os juvenis são normalmente esverdeados, com linhas pretas no tórax e no abdómen, enquanto a coloração definitiva não de desenvolve por completo.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Saca-rabos (Herpestes ichneumon)

O Saca-rabos (Herpestes ichneumon) é uma espécie carnívora que se alimenta maioritariamente de coelhos, roedores, aves, ovos e alguns répteis.

Possui um corpo alongado e patas curtas, tem hábitos diurnos mas tem comportamento esquivo o que a torna de difícil a sua observação. Frequentemente apoia-se apenas nas patas posteriores para melhor observar o que o rodeia. O saca-rabos é resistente ao veneno das cobras.

Fotografia tirada a um dos saca-rabos em cativeiro na Tapada de Mafra.
© All Rights Reserved

domingo, 23 de agosto de 2009

Praias, arribas e dunas do arco litoral Tróia-Sines e também uma Raposa =)


O passeio foi realizado pela ciencia viva e deu a conhecer a dinâmica litoral do arco Tróia-Sines com observação da restinga de Tróia e das arribas da região da Galé (litorais de erosão e acumulação). A evolução geológica (últimos 10 000 anos) da restinga de Tróia.

No final do passeio uma raposinha veio visitar-nos e ficou por ali um bocado.

A raposa-vermelha (Vulpes vulpes) é um carnívoro de médio porte, com pelagem geralmente castanho-avermelhada.
Tem hábitos nocturnos e crepusculares e come em média 500g de comida todos os dias. A sua alimentação varia entre coelhos e lebres, principalmente, mas mas também pode se alimentar de pequenos roedores, aves, insetos, peixes, ovos, e frutos, possui cerca de 20 esconderijos para comida e consegue lembrar-se de todos. Em caso de necessidade pode, por vezes, alimentar-se de restos de comida humana e de animais mortos.

sábado, 15 de agosto de 2009

Camuflado =P


Hoje fui literalmente para o mato selvagem...
Na zona da Malveira, decidi ir conhecer melhor as redondezas e então peguei na máquina fotográfica e nos tripé e lá fui (a minha mãe também veio comigo).
Foi uma boa viagem, excepto as partes picantes, mas já lá chego. Decidi experimentar o camuflado, supostamente para caça mas que so vai ajudar a caçar fotografias.

O objectivo era chegar a um monte onde houvesse vegetação que albergasse algumas aves, reptéis e anfíbios, ou seja, sair da zona dos eucaliptos e ir para o mato denso =)

Passámos alguns campos agrícolas e uma ribeira que já só tinha lama e lá chegamos ao mato, mas encontrava-se demasiado denso.
Ainda tentámos entrar literalmente na floresta mas as silvas cortavam o caminho por todo o lado, no final só obtivemos foram bons cortes nas pernas e braços feitos pelos vários picos durante o trajecto.
Ao menos deu para testar o "fato de invisibilidade" especialmente concebido para as florestas e que resulta às mil maravilhas, numa outra foto nem se percebe que estou lá.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Macros



À alguns dias recebi um comment da Nica numa imagem já antiga que tinha no hi5, essa imagem era de uma pena de pavão com uma gota de água.
Imediatamente lembrei-me que podia voltar a fazer esse tipo de fotos mas com penas diferentes.
Entao hoje quando acordei lembrei-me de fazer mais alguns testes de fotografia macro, por isso, montei o "estudio" cá de casa, uma simples folha de papel liso colada à mesa e a ventoinha apontada para o lado oposto do quarto, de maneira a que as penas não se movessem durante as fotografias.

O inicio foi dificil, porque tenho uma quantidade enorme de penas numa gaveta cá de casa, o processo de selecção das mais bonitas e em melhor estado ainda demorou uns bons 20 minutos.
De seguida, coloquei o material fotografico todo a postos e verifiquei qual o local onde as penas tinha de ficar e a que distancia da maquina.
Depois foi só acrescentar a gota de água e tirar as fotografias com um bom tempo de exposição e aqui está algumas das fotografias.
Tenho pena de não possuir equipamento de estudio a sério, um candeeiro não dá o mesmo resultado embora se aplique uma folha de papel à frente para espalhar melhor a luz, e o facto de não usar uma lente macro também dificulta as fotografias, a focagem foi toda manual.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Leopardo da Pérsia



"Olha o que está aqui. Espero que ninguém tenha visto!"


"Só dar uma lambidela..."

"Hum, não aguento! É irresistivel...yumy...é tão bom..."


"Bolas...vem aí alguém...foge, foge..."
A história foi inventada, mas podia ser verdade se ocorresse na Natureza, neste caso ele teve todo o tempo do mundo para ir trincando aquele naco de carne. Tirei cerca de 200 fotografias a todo este trincar, demasiadas para escolher as que mais gosto...
Não sei se é uma das crias se um dos progenitores, terei que analisar melhor e comparar com fotos mais recentes, visto que elas crescem muito depressa.
É um dos maiores leopardos. A sua pelagem é longa e amarela com rosetas negras que, ao contrário do jaguar, não têm pintas negras no centro. O seu corpo é esguio e musculado, com uma cauda comprida usada para o equilibrio quando sobem às arvores com as suas presas, para as colocar fora do alcançe de outros predadores.

Serval


O seu nome cientifico é Leptailurus serval.
O magnifico Serval, são felinos esguios com longas patas e orelhas relativamente grandes. A sua pelagem possui uma cor amarelada e apresenta um padrão de grandes manchas negras, muito variáveis conforme o individuo.
Heis mais um animal dificil de fotografar, muito facil de observar e com uma elegancia espectacular. Já o vi uma vez a saltar, e é magnifico a altura que este pequeno chega. A sua exibição é muito adequada a este exemplar (a femea deve estar de quarentena, esperemos que com bebés). Ele encontra-se sempre no mesmo sitio, no canto da jaula mesmo ao pé dos visitantes, ele está tao perto que por vezes só apanho a orelha dele com a objectiva, dai ser muito dificil fotografar sem ter redes há frente.
Hoje ele estava com medo da água, o tratador estava a limpar a casinha dele, local onde ele permanece durante a noite, e ele andava para trás e para a frente, por fim lá "estacionou" num local em que consegui fotografá-lo.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Macros



Um fotografo está constantemente a aprender, mas a melhor maneira de aprender é experimentar. Brincar com as fotos, brincar com o equipamento =)

Deixar de trabalhar no programa e passar a trabalhar em manual na maquina foi das experiências mais dificeis que tive, de um momento para o outro as fotos estavam a sair todas mal outra vez, e não conseguia atingir os meus objectivos (dentro de cada foto), mas sentia que esse passo era muito importante, porque me permitiria tirar outro tipo de fotos, mais personalizadas e artisticas.

Hoje decidi experimentar mais um bocado, desta vez nos macros =) acho que já aprendi definitivamente a fazer macros, esperemos que na altura em que tenha de os fazer não me esqueça do que aprendi hoje.

Para quem não sabe, este é o meu porta-chaves xD

domingo, 9 de agosto de 2009

Puma da Florida

Recentemente o zoo pôs em exibição os dois pumas que adquiriram, um macho e uma femea, penso que esta aquisição é devido à conservação das especies realizada por todos os zoos, ou seja, esperemos que no próximo ano tenhamos crias =)

Eles encontram-se numa exibição antiga, mas com as condiçoes perfeitas para estes dois animais. Mas torna o meu trabalho mais dificil =S

As fotografias têm de ser tiradas de manha, por causa da luz que entra na jaula, de tarde ela encontra-se quase toda à sombra e os animais ficam muito escuros, os vidros estão sempre muito sujos, em parte devido aos animais e reflectem muito a luz, ou seja, tiramos fotografia a nós proprios ou as pessoas que estão a passar atrás de nós. As grades sao suficientemente grandes, mas estes dois não facilitam, ou estão muito perto da jaula e so apanhamos a grade ou estão em parte incerta e dificil de fotografar.

Recentemente descobri um local privilegiado do qual vejo a exibição quase de cima, mas o zoo colocou grades mais pequenas o que dificulta em muito a tarefa de fotografar, mas lá consegui tirar esta foto =)

Visita ao Zoo - Lémure-de-cauda-anelada

Depois de vários dias sem ir ao zoo, heis que lá dei um saltinho

=)

Pela primeira vez consegui tirar uma foto a estes meninos, devido às condições do zoo é me muito dificil fotografá-los. A exibição deles encontra-se com uma rede muito pequena, o que faz com que apareça na fotografia =S

Para conseguir fotografar, o truque é simples, basta fotografar um dos animais mais longe, enquanto estamos o mais perto possivel da rede, sem nunca passar as regras de segurança

Ultimamente eles têm sido um bocado barulhentos, quando se chateam especialmente, às vezes estou a fotografar outros animais e consigo ouvi-los =)